domingo, 21 de dezembro de 2014

# lonjura


 
Suporta sublime solidão 
 
sufoca suposta sensação
 
 
E quando tocar o tambor da saudade
 
sente que venta o sabor da verdade
 
 
Ah, pérfida distância
 
 
Maltrata-me nas masmorras góticas deste espaço infinito
 
 
Ata-me nos mau-tratos ácidos deste amor ausente
 
 
Maldiz-me nas manhãs cálidas deste tempo que rança
 
 
Ah, pérfida distância